“A oração é a respiração da alma.”

Dentre os órgãos do nosso corpo, acredita-se que o sistema respiratório seja o que se envelhece mais rápido. Devido á maior exposição a poluentes ambientais ao longo dos anos.
O Pulmão é um órgão que é formado por fibras elásticas, músculo liso e tecido conjuntivo, e com o passar dos anos, estas fibras vão reduzindo o recolhimento elástico dos pulmões e da complacência da caixa torácica, o processo de envelhecimento também modifica a curvatura do músculo diafragma, provocando um efeito negativo em sua capacidade de gerar força.
Essas alterações são responsáveis pela redução da força muscular respiratória, alterando a função bomba respiratória e funções não ventilatórias, como tossir, espirar, falar, cantar e outras funções que são acompanhadas pelo esforço respiratório.

A redução da força respiratória pode ser amenizada através de exercícios físicos.

O método Pilates surge como forma de condicionamento físico e dentre os seis princípios do pilates, se encontra o trabalho respiratório. Ao iniciarmos o movimento, já se inicia a respiração, pois o movimento está interligado com a respiração, desta forma a expiração esta associada á contração do diafragma, do transverso abdominal, dos multífidos e dos músculos do assoalho pélvico. Ao trabalharmos a respiração durante os exercícios, estamos fornecendo uma organização do tronco pelo recrutamento dos músculos estabilizadores profundos da coluna na sustentação pélvica e favorecendo o relaxamento dos músculos inspiratórios e cervicais. Com essa organização, conseguimos extrair um melhor padrão respiratório e com isso fortalecer a musculatura responsável pela respiração, melhorando desta forma a qualidade de vida.

Fica a Dica Com Vida

Agora ensinaremos um exercício simples para que você possa se familiarizar com a respiração deste método:
Sente-se de maneira confortável, fique relaxado e mantenha os pés apoiados no chão separados da cadeira. Mantenha as costas retas, a coluna alinhada e os ombros leves e relaxados.
Aproxime o queixo ligeiramente em direção ao peito. Mas atenção! O alinhamento do pescoço em relação à coluna é muito importante, imagine que há uma bola de tênis entre o queixo e o pescoço.
Agora, coloque as mãos sobre suas costelas, feche seus olhos e coloque toda a sua atenção em tentar não mover seu peito ou abdômen.
1 – Inspiração:
Inspire pelo nariz continuando a contrair o abdômen. Observe como o oxigênio entra na caixa torácica e, com ele, como suas mãos se separam pela ação da abertura das costelas.
2 – Expiração:
Expire pela boca ativando bem seus músculos abdominais como se tentasse levar o umbigo até a coluna vertebral, como se estivesse puxando o umbigo pelas costas.
Realize uma série de 10 a 20 respirações mantendo-se relaxado, os efeitos logo serão notados.

0%
de desconto no plano trimestral

Tenha seu tempo. Cuide-se. Você merece.

Conheça nossas promoções do mês.

AGENDE SUA AULA